Torneamento de aços inoxidáveis

A usinabilidade dos aços inoxidáveis varia dependendo dos elementos de liga, tratamentos térmicos e processos de fabricação (forjado, fundido etc.) Em geral, a usinabilidade diminui com um teor de liga mais alto.

Para recomendações de usinagem, classificamos o material em três grupos.

  • Ferrítico/martensítico
  • Austenístico
  • Duplex (austenístico/ferrítico)

Classes, geometrias e outras informações importantes sobre cada grupo são fornecidas abaixo.

 

Aços inoxidáveis ferríticos e martensíticos

- Classificação dos materiais: P5.x
Esse aço inoxidável é classificado como material de aço, portanto, P5.x. As recomendações de usinagem geral para esse tipo de aços são nossas classes da série 2000 e séries de geometrias para aços inoxidáveis (-MF, -MM, -MR, -MRR).

Algumas vezes, os aços martensíticos são usinados em condições endurecidas; isso exige maior resistência à deformação plástica da pastilha. 



Aços inoxidáveis austenísticos

- Classificação dos materiais: M1.x e M2.x
O aço inoxidável austenístico é o tipo mais comum de aço inoxidável. O grupo também inclui os chamados aços inoxidáveis superaustenísticos, definidos como aços inoxidáveis com teor de Ni acima de 20%.

As classes recomendadas para uso são a série 2000 e a série de geometrias (-MF, -MM, -MR, -MRR). As pastilhas Wiper podem ser usadas para acabamento e usinagem média, p. ex. –WF e -WMX.

Para cortes intermitentes ou quando o martelamento ou entupimento de cavacos for o principal mecanismo de desgaste, use as classes GC1100. As classes GC1100 também são a primeira escolha quando for necessária uma aresta viva (por ex.: com baixos avanços ou com uma profundidade de corte pequena).

Outras considerações:

  • Use sempre a refrigeração para diminuir a craterização e a deformação plástica e selecione o maior raio de ponta possível.
  • Devido ao endurecimento, o desgaste tipo entalhe na profundidade de corte, que leva à formação de rebarbas, é comum. Use pastilhas redondas ou ângulos de posição pequenos.
  • Tendências à abrasão e arestas postiças são comuns. Ambas têm influência negativa no acabamento superficial e na vida útil da ferramenta. Use arestas vivas e/ou geometrias com uma face de ataque positiva.
Resistência ao desgaste Tenacidade
F=Acabamento, M=Usinagem Média, R=Desbaste​

 



Aços inoxidáveis duplex (austenísticos/ferríticos)

- Classificação dos materiais: M3.4
Para aços duplex com maior teor de elemento de liga, são usadas as denominações super, ou até mesmo aços inoxidáveis hiperduplex.

A maior resistência mecânica torna os materiais mais difíceis de usinar, em especial quando se trata de geração de calor, forças de corte e controle de cavacos. Os mecanismos de desgaste mais comuns são desgaste de flanco e craterização, deformação plástica, martelamento de cavacos e desgaste tipo entalhe.

Dependendo da aplicação, as classes GC2000 e GC1100 podem ser usadas. As geometrias comuns são -MF, -MM e -MR.

Outras considerações:

  • A refrigeração e o controle de cavacos são importantes para evitar a deformação plástica. Use a ferramenta com refrigeração interna, pressão alta preferencialmente (HP)

  • Use ângulos de posição pequenos para evitar o desgaste tipo entalhe e a formação de rebarbas

  • Use geometrias com alta força na aresta de corte para suportar altas forças de corte