Please select your country! -Português -PT Configurações

Configurações

Please select your country!

{{group.Text}}

{{"ifind_go-back" | translate}}

{{group.Text}}

Furação

Furação de uma superfície irregular

Furação de uma superfície irregular
 

Furar superfícies irregulares pode levar a forças irregulares e excessivas nas arestas de corte da broca,o que causa o desgaste prematuro. É importante seguir as orientações e reduzir o avanço quando necessário.

Furação de uma superfície irregular



Podem danificar as brocas ou as pastilhas quando penetrar na superfície e/ou ao sair do furo.

Brocas com pastilha intercambiável
  • Reduza a faixa de avanço para evitar danos na pastilha
Brocas inteiriças de metal duro
  • Reduza a faixa de avanço a ¼ da faixa normal para reduzir o risco de lascamento nas arestas de corte
Brocas com ponta intercambiável
  • Reduza a faixa de avanço a ¼ da faixa normal para evitar o lascamento
  • Se as condições forem instáveis, faça um furo piloto ou rebaixo com fresa para criar uma superfície plana
 

Furação de uma superfície convexa



Brocas com pastilha intercambiável
  • Centro da broca em contato com a peça primeiro, proporcionando torque normal
  • Nenhum ajuste é necessário
Brocas inteiriças de metal duro
  • O raio mínimo recomendado da superfície convexa é 4 vezes o diâmetro da broca
  • O furo deve ser perpendicular à superfície
  • Avanço entre 50 e 100% da faixa normal
Brocas com ponta intercambiável
  • O raio mínimo recomendado da superfície convexa é 4 vezes o diâmetro da broca
  • O furo deve ser perpendicular à superfície
  • Condições estáveis
  • Use broca o mais curta possível
  • Reduza o avanço em ½ da faixa normal durante a entrada
  • A qualidade do furo e a vida útil da ferramenta podem ser prejudicadas quando comparadas com a furação em condições favoráveis
  • Faça um furo piloto ou um rebaixo com fresa para criar uma superfície plana
 

Furação de superfícies côncavas



Brocas com pastilha intercambiável
  • Deve entrar com a pastilha central primeiro
  • O contato da broca varia de acordo com a superfície côncava e o diâmetro do furo em relação à altura da ponta da broca
  • A periferia da broca entrará em contato primeiro se o raio da superfície côncava for menor que o diâmetro do furo
  • Reduza o avanço para ⅓ da faixa normal para reduzir a deflexão da broca
Brocas inteiriças de metal duro
  • É possível furar se o raio for 15 vezes maior que o diâmetro da broca e o furo for perpendicular ao raio
  • Reduza o avanço a ⅓ da faixa normal
Brocas com ponta intercambiável
  • O raio mínimo recomendado na superfície côncava é 1 x o diâmetro da broca (para assegurar que o centro da ponta da broca entre na peça primeiro)
  • Condições estáveis
  • Use broca o mais curta possível
  • Reduza o avanço em ¼ da faixa normal durante a entrada
  • A qualidade do furo e a vida útil da ferramenta podem ser prejudicadas comparando com a furação em condições favoráveis
 

Furos pré-usinados



Brocas com pastilha intercambiável
  • O furo pré-usinado não deve ser maior que Dc/4 para manter o equilíbrio da força de corte entre a pastilha central e a periférica em um nível aceitável
  • É possível usar uma broca com três canais para aumentar o pré-furo
Brocas inteiriças de metal duro
  • Não recomendada devido ao risco de lascamento na aresta de corte
Brocas com ponta intercambiável
  • Não recomendada devido ao risco de lascamento na aresta de corte
 

Furação cruzada

Desafios:
  • O escoamento de cavacos é afetado, podendo se tornar mais problemático
  • Rebarbação no cruzamento é difícil. A formação de rebarbas deve ser a menor possível
  • Causa maior desgaste da ferramenta que a furação convencional
Orientações gerais:
  • Geralmente, é necessário reduzir o avanço à medida em que a broca cruza o furo existente
  • Para furos com diâmetros diferentes: faça o maior furo primeiro para reduzir a formação de rebarbas
Brocas com pastilha intercambiável
  • Quando cruzar um furo com diâmetro maior que ¼ do diâmetro da broca, reduza o avanço a ¼ da faixa normal
Brocas inteiriças de metal duro
  • Reduza o avanço a ¼ da faixa normal quando cruzar o furo existente
 
Brocas com ponta intercambiável
  • O diâmetro mínimo recomendado no furo a ser cruzado é de 2xDc (para assegurar que o centro da ponta entre na peça primeiro)
  • Condições estáveis
  • Use broca o mais curta possível
  • Reduza o avanço em ¼ da faixa normal durante a entrada e a saída do furo cruzado
  • Reduza o avanço de retração
  • A qualidade do furo e a vida útil da ferramenta podem ser afetadas comparando-se com condições favoráveis
 

Furação com entradas/saídas inclinadas

Gera forças irregulares e excessivas que agem nas aresta de corte
  • Corte intermitente conforme a broca entra/sai da peça
  • Aumenta as chances de vibração
  • Pode distorcer o perfil da furação
  • Causa maior desgaste da ferramenta que a furação convencional
Recomendações gerais:
  • A estabilidade é crucial. Uma relação comprimento/diâmetro menor ajudará a manter as tolerâncias
  • O fresamento de uma superfície pequena é recomendado quando entrar em peças com uma inclinação grande
Brocas com pastilha intercambiável
  • Use a menor broca possível para minimizar as tendências à vibração e diminuir os efeitos de deflexão da broca
  • Se a superfície tiver um ângulo maior que 2 graus, reduza o avanço a ⅓ da faixa normal
  • A redução do avanço também ajudará a reduzir as rebarbas na saída
Brocas inteiriças de metal duro
  • Para inclinações de até 10 graus, reduza o avanço a ⅓ do avanço normal até que o diâmetro completo esteja em corte
  • As inclinações de mais de 10 graus não são recomendadas para furação
  • Uma alternativa para grandes inclinações é fresar uma superfície plana pequena e então usinar o furo
 

Furação com entradas inclinadas

Brocas com ponta intercambiável
  • O ângulo máximo recomendado é de 6 graus
  • Condições estáveis
  • Use broca o mais curta possível
  • Reduza o avanço em ⅓ da faixa normal durante a entrada
  • A qualidade do furo e a vida útil da ferramenta podem ser prejudicadas comparando com a furação em condições favoráveis
  • Faça um furo piloto ou rebaixo com fresa para criar uma superfície plana se houver um ângulo de posição grande ou comprimento maior
 

Furação com saídas inclinadas

Brocas com ponta intercambiável
  • O ângulo máximo recomendado é de 30 graus
  • Condições estáveis
  • Use broca o mais curta possível
  • Reduza o avanço em ⅓ da faixa normal durante a saída
  • Reduza o avanço de retração
  • A qualidade do furo e a vida útil da ferramenta podem ser prejudicadas comparando com a furação em condições favoráveis
  • É recomendado manter as margens da ponta em contato com a superfície do furo em ambos os lados
 

Furação de superfícies assimetricamente curvas

Faz com que a broca se curve para além de linha de centro do furo

  • Inicialmente, somente a periferia da aresta de corte está em contato
  • Semelhante, mas não idêntica às superfícies inclinadas
Brocas com pastilha intercambiável
  • Como a pastilha central não estará em corte inicialmente para equilibrar as forças de corte, reduza o avanço de entrada a ⅓ da faixa normal
Brocas inteiriças de metal duro
  • Não podem ser usadas - somente partes da aresta de corte cortarão e a ponta pode não estar em contato com a superfície primeiro
  • Alto risco de lascamento
Brocas com ponta intercambiável
  • O ângulo máximo recomendado a partir do centro para o canto é de 6 graus
  • Condições estáveis
  • Use broca o mais curta possível
  • Reduza o avanço em ⅓ da faixa normal durante a entrada
  • A qualidade do furo e a vida útil da ferramenta podem ser prejudicadas comparando com a furação em condições favoráveis
  • Faça um furo piloto ou rebaixo com fresa para criar uma superfície plana se houver um ângulo grande ou comprimento maior
 
 
 
Usamos cookies para melhor a experiência de navegação em nosso website. Mais sobre cookies.