Please select your country! -Português -PT Configurações

Configurações

Please select your country!

{{group.Text}}

{{"ifind_go-back" | translate}}

{{group.Text}}

Fresamento

Canais ou fresamento de canais

Fresamento de canaisFresamento de canais
 

Canais ou fresamento de canais é uma operação na qual o fresamento lateral e o faceamento são opções preferenciais ao fresamento de topo.

  • Fresamento de canais e canais podem ser longos ou curtos, abertos ou fechados, retos ou curvos, profundos ou rasos, largos ou estreitos
  • A seleção da ferramenta costuma ser determinada pela largura e a profundidade do canal e, até certo ponto, pelo comprimento do canal
  • O tipo e a frequência da máquina disponível para a operação determinarão se deverá ser usado fresa de topo, fresa de aresta longa ou fresa de disco e facear
  • As fresas de disco e facear oferecem o método mais eficiente para o fresamento de grandes volumes de canais longos e profundos, especialmente quando usadas máquinas de fresamento horizontal. O crescimento de máquinas para fresamento vertical e de centros de usinagem, porém, significa que as fresas de topo e fresas de aresta longa também são frequentemente utilizadas em uma variedade de operações de fresamento de canais.
 

Comparação de conceitos de fresas

Faceamento e fresamento lateral

+ Canais abertos
+ Canais profundos
+ Largura/tolerâncias ajustáveis
+ Fresamento com trens de fresas
+ Cortes
+ Ampla gama de produto para diferentes larguras/profundidades
– Canais fechados
– Somente usinagem de canais lineares
– Escoamento de cavacos

Fresamento de topo

+ Canais fechados
+ Canais rasos
+ Canais não-lineares
+ Versatilidade (métodos adicionais):
  • Fresamento de canais trocoidais para materiais difíceis (aços duros, HRSA etc.)
  • Fresamento em mergulho como um solucionador de problemas para balanços longos da ferramenta
  • Operações adicionais de semiacabamento/acabamento podem ser adicionadas com facilidade
  • É possível usar uma fresa de topo para operações que não sejam fresamento de canais
– Canais profundos
– Altas forças
– Sensível à vibração se houver deflexão
 
 

Faceamento e fresamento lateral

Fresas de disco e facear podem lidar com canais longos, profundos e abertos de maneira mais eficiente e oferecer a melhor estabilidade e produtividade para este tipo de fresamento. Elas também podem ser montadas como em um "trem de fresas" para usinar mais de uma superfície no mesmo plano e ao mesmo tempo.

Como aplicar

  • Escolha o tamanho da fresa, o passo e a posição, de forma que a última aresta esteja no corte durante todo o tempo
  • Verifique a espessura de cavaco para obter o avanço por dente ideal
  • Em operações de fresamento exigente, verifique os requisitos em relação à potência e ao torque. Árvores rígidas e balanço são muito importantes em aplicações nas quais as árvores têm uma extremidade livre
  • A fixação e o suporte do eixo devem ser robustos para lidar com as forças de corte do fresamento discordante

Fresamento concordante:

  • primeira escolha em método
  • Use um limitador firme na direção das forças de corte tangenciais para evitar que elas forcem a peça para baixo, contra a mesa. A direção do avanço corresponde às forças de corte, o que significa que é importante eliminar a rigidez e a folga, uma vez que a fresa tem uma tendência a subir.

Fresamento discordante:

  • Alternativa em aplicações onde surgem problemas devido à rigidez insuficiente, ou ao trabalhar com materiais exóticos.
  • Soluciona problemas gerados por set-ups fracos e entupimento de cavacos em canais mais profundos.

Volante:

  • Um bom complemento para set-ups fracos e quando a potência disponível e o torque forem baixos.
  • Posicione o volante o mais próximo da ferramenta possível.
  • O fortalecimento da montagem da peça é sempre um bom investimento.

Fresamento de canais abertos usando fresas de disco e de facear.

Cálculo do avanço por dente

Um fator crítico no fresamento periférico usando fresas de disco e de facear é obter um avanço por dente fz adequado. Valores insuficientes causam desvantagens graves, portanto, sempre tome cuidado ao fazer este cálculo.

O avanço por dente, fz, deve ser reduzido para canais profundos e aumentado para os mais rasos, a fim de manter a espessura máxima do cavaco recomendada. Por exemplo, ao fazer canais em cheio com a geometria M30, o valor inicial para a espessura máxima do cavaco deve ser 0,12 mm (0,005 pol.).

Nota: Uma vez que duas pastilhas trabalham juntas para usinar a largura do canal em cheio, o avanço é calculado usando metade do número de pastilhas zn.

ae / Dcap (%)​ fz (mm/dente)​ hex (mm)
​250,14​
(0,006 pol.)
0,12
(0,005 pol.)​
​10​0,20
(0,008 pol.)
​0,12
(0,005 pol.)
​5​0,28
(0,011 pol.)
​0,12
(0,005 pol.)

Profundidade de corte

Para canais mais profundos, é necessário solicitar uma fresa especial. Se for necessário usinar canais mais profundos, o avanço por dente deve ser reduzido. Se o canal for mais raso, aumente o avanço.

Nota: A profundidade de um canal pode ser limitada pelo diâmetro do acoplamento-árvore, pela resistência à deformação das chavetas e pela capacidade dos bolsões para escoar cavacos.

Volante – em máquinas horizontais

Somente alguns dentes têm contato por vez nas operações de fresamento lateral e faceamento, o que pode gerar vibrações torsionais pesadas devido à usinagem intermitente. Isto é prejudicial ao resultado da usinagem e a produtividade.

  • O uso de um volante costuma ser uma boa solução para a redução destas vibrações. Os problemas causados por potência, torque e estabilidade insuficientes na máquina costumam ser solucionados pelo uso correto de volantes
  • A necessidade de um volante é maior em máquinas pequenas de pouca potência ou em máquinas com maior desgaste, do que em máquinas maiores ou mais estáveis e potentes
  • Posicione o volante o mais próximo da ferramenta possível.
  • O uso do volante resulta em uma usinagem mais suave, o que resulta na redução de ruído e de vibração e na vida útil mais longa da ferramenta
  • Além do fresamento discordante, é possível instalar um volante em um eixo no qual a fresa é configurada
  • A fim de melhorar a estabilidade no fresamento lateral e no faceamento, use o maior volante possível permitido pela aplicação
  • A combinação de uma variedade de discos redondos de aço-carbono, cada um com um furo central e um canal para instalação do eixo, continua sendo o melhor método para a instalação de um volante.

Fresamento com trens de fresas usando fresas instaladas em um padrão escalonado

Fresas que tenham um furo para montagem com 2 rasgos de chaveta podem ser dispostas em um padrão escalonado para o fresamento de mais de um canal ao mesmo tempo. A disposição do distanciamento das fresas ajuda a evitar vibração. Isto também reduz a necessidade de volantes.

O fresamento de canais estreitos e rasos

Fresas versáteis possuem pastilhas com múltiplas arestas, disponíveis em formatos para atender à maioria dos tipos de canais pequenos. Aplicações comuns incluem a usinagem de um canal circlip interno e canais de anel de vedação e de canais externos pequenos retos ou circulares, especialmente em peças que não podem ser rotacionadas.

Usinagem de canais internos

  • Deve-se programar uma entrada suave ao usar o fresamento circular.
  • Considere a relação entre o diâmetro da fresa e o diâmetro do furo, Dc/Dw. Quanto menor a relação, maior será o contato.
 
 
 

Fresamento de topo de canais

O fresamento de topo é escolhido para canais curtos e rasos, especialmente canais e bolsões fechados, e fresamento de rasgos de chavetas. Fresas de topo são as únicas ferramentas que podem fazer o fresamento de canais fechados que sejam:

  • Retos, curvos ou em ângulo
  • Bolsões específicos, maiores que o diâmetro da ferramenta

Operações mais pesadas de fresamento de canais são realizadas usando fresas de aresta longa.

 

Escolha da ferramenta

Fresamento de topo e fresas de aresta longa

​​
Fresas topo inteiriças de metal duro Fresa de topo de faceamento de cantos a 90 graus Fresas com aresta longa Fresas de topo de cabeça intercambiável
Máquina/tamanho do fuso​ISO 30, 40, 50ISO 40, 50​ISO 40, 50​​ISO 30,40, 50
Exigência de estabilidadeAlta​MédiaAltaBaixa​
DesbasteMuito boaBoaMuito boaAceitável
AcabamentoMuito boaBoaAceitávelMuito boa
Profundidade de corte apGrande​MédiaGrandePequena
VersatilidadeMuito boaBoaAceitávelMuito boa
ProdutividadeMuito boaBoaMuito boaBoa

Como aplicar

  • Use fresas de topo de corte leve com uma vida útil longa previsível da ferramenta, instalada em mandris de alto desempenho
  • Minimize a distância do mandril da ferramenta até a aresta de corte para alcançar o menor balanço possível
  • Considere o avanço por aresta para produzir a espessura satisfatória do cavaco. Use fresas de passo largo para evitar cavacos finos, os quais causam vibrações, superfícies insatisfatórias e formação de rebarbas
  • Use o maior tamanho possível da ferramenta para obter a melhor relação entre diâmetro/comprimento para a estabilidade
  • Sempre que possível, use fresamento concordante para obter uma ação de corte mais favorável
  • Certifique-se de retirar os cavacos do canal. Use ar comprimido para evitar o entupimento de cavacos
  • Use o acoplamento Coromant Capto® para melhor estabilidade e suporte do fuso

Usinagem de canais usando fresas para fresamento de topo

A usinagem de um canais ou rasgos, geralmente chamado de canais em cheio, envolve três faces usinadas:

  • Os canais nas duas extremidades são bolsões, os quais exigem fresas de topo que consigam trabalhar na direção axial
  • Canais em cheio com uma fresa de topo é uma operação exigente. Geralmente, a profundidade de corte axial deve ser reduzida em cerca de 70% do comprimento da aresta. A rigidez da máquina e o escoamento de cavaco também precisam ser considerados ao determinar o melhor método para a operação
  • As fresas de topo são sensíveis aos efeitos das forças de corte. A deflexão e a vibração podem ser fatores limitadores, especialmente em altas taxas de usinagem e com longos balanços

Fresamento de rasgos de chaveta

Essa operação requer algumas orientações específicas, além das recomendações gerais para fresamento de superfícies retas e usinagem de canais. Um canal fresado em uma única etapa não terá um formato perfeitamente quadrado, devido à direção das forças de corte e à tendência da ferramenta se curvar. É possível obter a melhor precisão e produtividade se a operação empregar uma fresa de topo muito pequena e for dividida em duas etapas:

  1. Fresamento de rasgo de chavetas – desbaste de canais em cheio
  2. Fresamento de disco – acabamento total do canal, usando fresamento discordante para criar cantos perfeitamente quadrados

A profundidade de corte radial deve ser mantida pequena em operações de acabamento para evitar a deflexão da fresa, já que esta é uma das causas principais do acabamento superficial insatisfatório e/ou do desvio de um canto em 90° perfeito.


Fresamento de rasgo de chavetas em duas etapas
 

Métodos para abertura e fechamento de canal ou bolsão em um blank inteiriço

Na preparação para o fresamento de canais longos e estreitos de largura total, a usinagem em rampa linear é o método mais comum, depois da furação, para abertura de um bolsão.

O fresamento interrompido também pode ser uma alternativa para canais rasos. A usinagem em rampa circular é usada para o fresamento de canais e bolsões mais largos.

 

Comparação de três métodos diferentes

Fresamento de canais convencionais

+ É possível usar máquinas de 3 eixos convencionais
+ Altas taxas de remoção em condições estáveis
+ Programação simples
+ Ampla opção de ferramentas
– Gera altas forças de corte radiais
– Sensível à vibração
– Canais profundos exigem passes repetidos
 

Fresamento trocoidal

+ Gera baixas forças de corte radiais- menos sensibilidade à vibração
+ Mínima deflexão no fresamento de canais profundos
+ Um método produtivo para:
  • usinagem de aços duros e HRSA (ISO H e S)
  • aplicações sensíveis à vibração
+ O diâmetro da fresa deverá ser no máximo 70% da largura do canal
+ Bom escoamento de cavaco
+ Baixa produção de calor
– Exige mais programação
 

Fresamento em mergulho

​+ Um solucionador de problemas em aplicações sensíveis à vibração:
  • com balanço da ferramenta longo
  • em fresamento de canais profundos
  • com máquinas ou set-ups fracos
– Baixa produtividade em condições estáveis
– Exige uma operação restante de fresamento/acabamento
– O corte na extremidade pode obstruir o escoamento de cavaco
– Escolha limitada de ferramentas
 

Desbaste de fresamento de canais com fresa de aresta longa

  • As fresas com grande capacidade de remoção de metal costumam ser usadas para usinagem em desbaste
  • As versões mais curtas podem produzir canais de profundidade até o equivalente ao diâmetro, em máquinas de fresamento estáveis e potentes
  • Use fusos estáveis ISO 50, pois estas fresas apresentam maior probabilidade de acomodar forças radiais consideráveis
  • Verifique os requisitos de potência e torque, pois eles costumam ser fatores limitadores para a obtenção de resultados ideais
  • Considere o passo ideal para cada tipo de operação

Desenhos mais longos destinam-se
principalmente para operações de usinagem de borda.
 
 
Passo​L ​​M ​​H 
Área de aplicaçãoSet-up longoUniversal​​Set-up curto
Fresamento de cantos a 90°Profundo ap/aeMédio ap/ae​Moderada ap/ae
Fresamento de canais​​Moderada ap/ae​Limitado​__
​vc pés/min
 
 
Usamos cookies para melhor a experiência de navegação em nosso website. Mais sobre cookies.