-Português -PT Configurações

Not signed-in

Configurações

Please select your country!

{{group.Text}}

{{"ifind_go-back" | translate}}

{{group.Text}}

Redefinindo o projeto com a manufatura aditiva

Inovação 2018-05-24 Åsa Backman Oskar Omne

A Sandvik Additive Manufacturing, com sede em Sandviken, Suécia, atende a todo o grupo Sandvik e pode oferecer uma linha completa, desde ideias até produtos acabados, em uma fase em que muitas empresas ainda estão começando a perceber os benefícios da manufatura aditiva (AM).

A ​Sandvik Additive Manufacturing é a mais nova área de produtos do grupo Sandvik e está em constante desenvolvimento e crescimento com mais recursos, capacidades, funcionários e solicitações de clientes, pois o panorama competitivo dentro da manufatura aditiva se desenvolve rapidamente.

"O mercado de manufatura aditiva de metal ainda é recente e pequeno, mas é um mercado atraente e com excelente potencial de crescimento. Em 2015, a manufatura aditiva de metal estava apenas começando a ir além de uma ferramenta para prototipagem e P&D para o que hoje podemos chamar de mais uma ferramenta da manufatura. Em 2017, o movimento para se tornar uma tecnologia de produção completa acelerou, por exemplo, nos setores aeroespacial, médico e de ferramentas”, conta Kristian Egeberg, Presidente de manufatura de aditiva da área na Sandvik Machining Solutions, a área de negócio à qual pertence a Sandvik Coromant.

Mikael Schuisky, Gerente de operações na Sandvik Additive Manufacturing, diz que o grupo Sandvik tem uma posição exclusiva.

"O grupo Sandvik tem competência para fornecer uma oferta completa que vai desde uma ideia a produtos acabados,” afirma ele, referindo-se também à área de negócios Sandvik Materials Technology, que é um fornecedor líder mundial da metalurgia do pó usada na manufatura aditiva. "Você não encontra muitas outras empresas com toda essa competência, abrangendo desde o desenvolvimento e produção interna de materiais sinterizados, projeto de AM, seleção de processos de AM e expertise líder em tecnologias de pós-processamento, como usinagem ou sinterização."

A capacidade do grupo Sandvik na manufatura aditiva e tradicional, por subtração de material através da usinagem CNC, também é exclusiva, diz Egeberg, referindo-se à Sandvik Materials Technology próxima a Sandviken, Sandvik Coromant.

“A manufatura aditiva é fantástica para determinadas aplicações, mas para outras, a manufatura subtrativa continuará com custo otimizado,” diz. “Temos a competência interna para oferecer produtos e fazer recomendações relacionadas às duas áreas.”

Schuisky diz que a discussão inicial com os clientes acerca do método de manufatura é fundamental.

​“Pergunte a uma empresa de usinagem e a uma empresa de impressão 3D. Você terá respostas completamente diferentes sobre os métodos de produção mais adequados para seu componente,” diz. “Por termos a competência em ambos os métodos, nossos clientes terão recomendações imparciais.”

Geralmente, a manufatura aditiva é a melhor escolha para produzir componentes com desenhos complexos.

“A manufatura aditiva redefine totalmente nossa abordagem para projetos e sobre o que é possível produzir em uma só peça, e ela também amplia os horizontes e as diversas habilidades envolvidas na área de projetos,” Schuisky afirma.

Para esclarecer, ele mostra um componente produzido com uma operação de usinagem tradicional e outro produzido com a operação de manufatura aditiva correspondente. Parecem duas peças completamente diferentes.

​“Com a real compreensão do que o componente deve fazer, você pode desenhar a peça com tenacidade e força estrutural exatamente onde forem necessárias, sem as restrições do desenho da manufatura tradicional,” Schuisky explica. “Imprimir em 3D um objeto desenhado para usinagem subtrativa simplesmente não propicia essas vantagens.”
Sustentabilidade é a força propulsora
Os componentes que se beneficiam por serem leves também encontrarão vantagens na manufatura aditiva. A redução do peso é uma importante questão no setor aeroespacial, orientada pelo custo de combustível e da pegada de carbono. O mesmo acontece com o setor de automóveis e caminhões e tudo que se move.

“O consumo de combustível é um fator, mas não podemos esquecer das ferramentas portáteis e outros objetos que carregamos que, se fossem mais leves, pouparia nossos ombros e as costas,” lembra Schuisky.

Fora a redução do consumo de energia e os ganhos para a saúde, a manufatura aditiva oferece diversas outras vantagens. Menos etapas de produção e transporte que a manufatura tradicional, bem como o fato de utilizar menos material que a manufatura tradicional, devido ao desenho que requer menos material e à produção real.

“Ao imprimir uma peça, cerca de 95% do pó que você coloca no processo é usado; o resto pode ser reciclado em uma nova fusão,” destaca Schuisky. “Compare com a manufatura tradicional em que você começa com uma porção de material e reduz grandes quantidades de cavacos.”

As possibilidades de aplicação da manufatura aditiva estão aumentando à medida que a tecnologia amadurece. Enquanto isso, Egeberg, Schiusky e seus colegas estão ajustando a oferta para assegurar que ela propicie ao cliente o máximo valor possível.

“Metalúrgicos, fabricantes líderes da metalurgia do pó, especialistas em pós-processamento e usinagem. Com 150 anos na indústria de metais, poucos sabem sobre a cadeia de valor da manufatura aditiva como nós. Temos feitos intensivos investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento em diferentes tecnologias de processo de AM nos últimos anos. Atualmente, estamos desenvolvendo peças para uso industrial”, conclui Egeberg.

O "p(ó)der" da manufatura aditiva

Sem o pó certo, a manufatura aditiva não funcionaria. A qualidade e as propriedades do pó têm grande influência nas propriedades da peça. Em outras palavras, há três aspectos importantes a considerar: seleção da matéria-prima, tamanho e morfologia da partícula.

Há cinco grupos de ligas principais usados nos processos de manufatura aditiva atualmente: aço, cromo cobalto, níquel, alumínio e titânio.

“Dependendo das especificações e do método da manufatura, a fusão é transformada na morfologia e no tamanho corretos da partícula em um processo chamado de atomização a gás,” explica Peter Harlin, engenheiro sênior em P&D de tecnologia de pós na Sandvik Materials Technology. “Dependendo do processo de manufatura aditiva em que o pó que será usado, o mesmo precisa ser dimensionado para que as partículas possam ser usadas no processo.

“Como um exemplo, o laser de fusão em leito de pó requer as menores partículas possíveis, menos que alguns mícrons, enquanto as máquinas de deposição com energia direcionada podem lidar com partículas significativamente maiores, cerca de 100 mícrons.”

Essa sentença é confirmada por Lars-Erik Rännar, líder em pesquisa para manufatura aditiva no centro de pesquisa de tecnologia do esporte da Mid Sweden University que tem como clara tendência a introdução de novas ligas e novos materiais sinterizados personalizados na manufatura aditiva.

“Para a Sandvik, com sua expertise em metalurgia e uma abrangente competência nas soluções de sinerizados e manufatura aditiva, esse é um desenvolvimento natural. Estou ansioso para pedir os materiais sinterizados personalizados deles no futuro,” Rännar diz.

 

 

Reação em cadeia/SiteCollectionImages/stories/Innovation/INN_CarolineFontura_01.jpghttp://coromantadmin.prod.tibp.sandvik.com/pt-pt/mww/pages/ins_chainreaction.aspx0x010100C568DB52D9D0A14D9B2FDCC96666E9F2007948130EC3DB064584E219954237AF3900FFEB28D1E96F42FE90C43C7046D97B7600CC9755DA489DF44286C1B7D9DA345E01Reação em cadeiaA artista da Califórnia Carolina Fontoura Alzaga leva o ditado "o lixo de um homem é o tesouro de outro" a sério, criando lustres sofisticados a partir de peças descartadas de bicicletas. RecyclingInnovationUnited States
Dirija meu carro/SiteCollectionImages/stories/Inspiration/INS_Selfdrivingcar_01.jpghttp://coromantadmin.prod.tibp.sandvik.com/pt-pt/mww/pages/inn_selfdrivingcar.aspx0x010100C568DB52D9D0A14D9B2FDCC96666E9F2007948130EC3DB064584E219954237AF3900FFEB28D1E96F42FE90C43C7046D97B7600CC9755DA489DF44286C1B7D9DA345E01Dirija meu carroA tecnologia que GEorge Hotz aprendeu como um hacker adolescente, agora está usando no carro que dirige sozinho e que ele terminou antes do pacote automotivo. AutomotiveInnovationUnited States
Nós construímos essa cidade/SiteCollectionImages/stories/Inspiration/INS_Songdo_02.jpghttp://coromantadmin.prod.tibp.sandvik.com/pt-pt/mww/pages/ins_songdo.aspx0x010100C568DB52D9D0A14D9B2FDCC96666E9F2007948130EC3DB064584E219954237AF3900FFEB28D1E96F42FE90C43C7046D97B7600CC9755DA489DF44286C1B7D9DA345E01Nós construímos essa cidadeNa Coreia do Sul, uma das mais novas cidades inteligentes do mundo abraçou a conectividade e a sustentabilidade. Como a tecnologia pode ser aplicada para o mundo da fabricação? InnovationKorea (South)
Sementes como lubrificantes/SiteCollectionImages/stories/Innovation/GRUND INN_Rovereto_16.jpghttp://coromantadmin.prod.tibp.sandvik.com/pt-pt/mww/pages/inn_vegetableoil.aspx0x010100C568DB52D9D0A14D9B2FDCC96666E9F2007948130EC3DB064584E219954237AF3900FFEB28D1E96F42FE90C43C7046D97B7600CC9755DA489DF44286C1B7D9DA345E01Sementes como lubrificantesÓleos vegetais ecológicos, com função de lubrificação e refrigeração, tomaram o lugar, de maneira eficiente, dos óleos minerais em fresadoras CNC no centro de P&D Sandvik Coromant em Rovereto, Itália. InnovationItaly

Usamos cookies para melhor a experiência de navegação em nosso website. Mais sobre cookies.